PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE

(...) candidatura do Processo Tradicional de produção de Vinho de Talha à lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO

Nos últimos 20 anos a significativa recuperação do interesse e motivação dos produtores tradicionais de Vinho de Talha do concelho de Vidigueira, assumiu um papel preponderante pelo impulso decisivo na organização das Festas Báquicas, em Vila de Frades. Estes, incentivados pela necessidade de preservação e salvaguarda da herança cultural e patrimonial de que são detentores, traduzida nas adegas, talhas, utensílios e artefactos que instrumentalizam a tecnologia de vinificação do Vinho de Talha, fomentaram na comunidade a transmissão das tradições às novas gerações. Influenciou-se assim o fortalecimento do reconhecimento identitário da produção de Vinho de Talha, que passou a ter uma dimensão celebrativa culminada nas Festas Báquicas de Vila de Frades.
 
As sucessivas edições destas Festas Báquicas alicerçaram e consolidaram de forma crescente o surgimento de uma nova geração de produtores cujo papel na perpetuação das tradições passou a ser reconhecido na comunidade. Foram estes, que assumindo os desafios da Vitifrades, têm tido um papel responsável pelo desenvolvimento cultural e económico deste tipo de vinho.
 
O processo de qualificação do Vinho de Talha passou pela obtenção junto da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) do reconhecimento da certificação do Vinho de Talha Amphora em 2011, convertendo-o no primeiro Vinho de Talha certificado de Portugal. Desde então, a abordagem e envolvimento dos produtores locais numa estratégia de qualificação dos seus vinhos, conduziu à formalização do pedido de certificação por alguns deles. Vislumbra-se desta forma a inserção do Vinho de Talha nos mercados regionais, nacionais, e mesmo nos exigentes e desafiantes mercados internacionais.
 
O impulso decisivo conduzido pelo Município de Vidigueira em lançar o desafio de iniciar o processo de cooperação institucional com vista à apresentação de candidatura do Processo Tradicional de produção de Vinho de Talha à lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade ficou estabelecido na Declaração de Compromisso de Vidigueira, subscrita a 9 de dezembro de 2016, no âmbito da inauguração da 19.ª edição das Festas Báquicas, em Vila de Frades, pelos representantes dos municípios de Vidigueira, Aljustrel, Cuba, Moura, Mora e Marvão e também pelos representantes institucionais da Direção Regional de Cultura do Alentejo, da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana e da Vitifrades.
 
Com o propósito de valorizar, proteger e salvaguardar a herança do vinho de talha no concelho de Vidigueira, e o valor excecional e ímpar do património cultural e imaterial legado pelas gerações sucessivas que o souberam transmitir, foi aprovada por unanimidade em reunião de Câmara, de 18 de janeiro de 2017, a proposta técnica tendente a iniciar o processo preparatório ao procedimento de registo no Inventário Nacional do Património Cultural (IPCI) da "Produção de Vinho de Talha no Concelho de Vidigueira". 
 
O município de Vidigueira lançou o desafio aos municípios do Alentejo com o propósito de preparar a instrução do processo de apresentação da Produção Tradicional do Vinho de Talha à lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade tendo para o efeito promovido reuniões institucionais e técnicas envolvendo os representantes de 22 municípios da Região Alentejo.
Bem-Vindo!Acreditamos no consumo responsável de bebidas alcoólicas.Tem idade legal para beber álcool no seu país?
SimNão
  • PT
O nosso website usa cookies para ajudar a melhorar a sua experiência de utilização. Ao utilizar o website, confirma que aceita a sua utilização. Esperamos que esteja de acordo. Conheça a nossa política de utilização de cookies. Fechar